Chegando lá.

Este blog tem o objetivo de aproximar-me mais de você amigo blogueiro e através do mesmo compartilhar idéias, artigos interessantes, fotos, poemas e pensamentos. Desde já agradeço pelo teu prestígio, companhia e comentários. Sejam Bem Vindos!



terça-feira, 14 de novembro de 2017

CORAL HAENDEL, 84 DE LOUVOR NA IGREJA CENTRAL PAULISTANA

A história prossegue contando a caminhada dos corais evangélicos pelo Brasil afora. Temos a alegria de conhecer hoje, a trajetória de mais um coral que este ano, está completando 84 anos de atividades. O CORAL HAENDEL, da Igreja Central Paulistana, (Igreja Adventista do Sétimo Dia), em São Paulo (SP), cujo líder é o pastor Adriano Luiz de ViIla. A seguir em ordem cronológica a história do coral.



Dezembro de 1933 - É fundado o coro misto da Igreja Central Paulistana, que recebeu então o nome de "Coro Sião". Seus regentes eram os irmãos Pr. Hagen e Iracema Zorub.

Agosto de 1934 - O Coro Sião estabelece seus regulamentos para os membros. As moças não deveriam cortar os cabelos muito curtos e não usar pintura. Requeria-se que todos os cantores estivessem em perfeita comunhão com a igreja e vivendo segundo os princípios bíblicos. O uniforme dos rapazes era composto de terno escuro, camisa branca e gravata preta. Um pouco funéreo, mas discrição absoluta era a palavra de ordem na época…

1935 - O regente do coral era Bernardo S.C. Henemann. Recebendo um chamado para trabalhar em outro setor da Obra, passa o cargo para Ida Hagen.

Dessa data ate 1951, não houve registro das atividades do coral, embora o grupo de cantores houvesse desenvolvido normalmente seus trabalhos de ensaios e apresentações.

Junho de 1951 - Dirigido pelo Pr. J. Passos e regência de Gérson Matos, o Haendel continuava seu ministério de louvor, agora soprando 18 velinhas de de existência.

1952 - Já sob a direção administrativa e regência do Pr. Passos e secretariado pelo jovem Geraldo Böekenkampf, o Häendel prosseguia em ininterruptas apresentações de hinos e cânticos edificantes e espirituais.

1953 - Mudança da diretoria administrativa, agora sob a responsabilidade do irmão João Sartorello e regência de Irma da Rimini Butler, extraordinária cantora lírica e regente, que marcou profundamente os cantores de então, num dos mais profícuos ministérios musicais de que se tem notícia na historia do coral. No mês de agosto desse mesmo ano, foi feita uma solicitação oficial a Associação Paulista, para que doassem as becas do extinto coro da instituição ao Häendel.

1961- Com a aprovação da Comissão da Igreja, mandou-se construir uma sala para o coral utilizar em ensaios e guarda de becas e equipamento.

1962 - Assume a direção e regência do Coral, a Profª. Cirene Flávia Giannoni, de saudosa memória. Sua competência, dedicação e comando marcaram época na Central.

1963 - Até então os homens trajavam beca azul. Resolveu-se mudar o visual masculino, adotando-se terno escuro com gravata borboleta (Chique, né?).
As moças, por sua vez, passaram a usar a beca azul.

1967 - E eleita como diretora do Coral a competente Profª. Cibele Botelho, organista e pianista da igreja e depois do quarteto da Voz da Profecia.

1968 - Novo uniforme e confeccionado com o apoio financeiro da tesouraria da Igreja

1971 - E eleita como diretora a irmã Salvadora Schlemper, esposa do pastor titular da Central, Evaldo Schlemper. Como pianista, assume a irmã Elfrida Krepski.

1972 - O experiente Pr. Rubens Segre Ferreira e escolhido como diretor.
Como pianista e organista, assume a proficiente Profª. Ruth Cezar Costa.

1974 a 1985 - O Prof. Dino Nolasco dos Santos, musico, compositor,
arranjador e regente encabeça o Coral Häendel, e permanece a testa do
grupo durante onze anos.

O Coral Häendel também teve como regentes os Profs. Helio Vieira dos Santos, com acompanhamentos de sua esposa Ieda dos Santos, Rubnei Rosa, William Chimello, Pr. Davi Marski, Esther Pinho Stockier de Lima, Pr. Rubens Dias e acompanhamentos de sua esposa Cleide Belz Dias. Todos eles contribuíram grandemente com o ministério do canto exercido pelo coral. Estão gravados não somente na memória daqueles que cantaram sob seu comando, mas também no coração.

A partir de 1995, assume o comando musical do Coral Häendel a dedicada e competente Hete Campos Gonçalves. Até hoje a Hete se dedica de corpo e alma ao coral. Seu esposo, Silvio Gonçalves é o incansável e devotado sonoplasta.

O primeiro diretor dessa nova fase foi o Prof. Floriano Azevedo. Ainda atuaram como diretores administrativos os irmãos Cesar L. Pagani, Reisvaldo C. Oliveira, Homero, Adroaldo Correia, Wilson Kauffman. Atualmente, a diretoria administrativa esta sob os cuidados da Dra. Selma Delatore.

O Coral Häendel sempre primou pela interpretação de hinos, cânticos e louvores de cunho eminentemente sacro, desde os clássicos de Mozart, Häendel, Beethoven, Vivaldi, Bach, Haydn, Sibelius, Saint-Saenz, Gounod, César Franck e outros. Também fazem parte de seu repertório obras mais modernas como as de João Wilson Faustini, John Peterson, Davis Giersch, David H. Willians, Don Besig, Nabor Nunes Filho, Pérsio Ribeiro Gomes e um sem número de compositores.

Fonte: http://www.iasdcp.com.br/conteudo/conjuntos/coral-haendel

Crentes reunidos em frente ao antigo templo da Igreja Central Paulistana 
                                                 (1928)

    Antigo Templo da Igreja Central Paulistana (IASD) em São Paulo - SP 
                                              (foto de 1930)

     Templo atual da Igreja Central Paulistana (IASD) em São Paulo - SP

                       Nave do Templo da Igreja Central Paulistana 

      Capa do CD do Coral Haendel da Igreja Central Paulistana (IASD)  


             Encontro de corais na Igreja Central Paulistana em 2015  


quinta-feira, 9 de novembro de 2017

CORAL VENCEDORES COM CRISTO - 50 ANOS DE VITÓRIAS!

Compartilho hoje, a história de mais um coral das Minas Gerais. Um coral vencedor, não obstante as lutas e dificuldades para sua sobrevivência. Ele não é diferente dos demais corais, cujas trajetórias pudemos conhecer anteriormente. O começo humilde, muitos obstáculos, maestros que se vem e se vão, homens e mulheres unidos num só propósito: levar avante à música sacra em louvor ao nosso Deus, Criador e Senhor.

O CORAL VENCEDORES COM CRISTO é um dos principais grupos musicais da Assembleia de Deus Ministério de Timóteo (MG), cujo templo-sede está localizado no Bairro Olaria. A igreja tem como líder local o Pastor Eustáquio Lopes Pereira, e como presidente o Pastor Adão Alves de Araújo, que também é o Presidente da COMADVARDO – Convenção dos Ministros das Assembleias de Deus do Vale do Rio Doce.

A igreja foi fundada em 10 de agosto de 1953, pelo saudoso Pastor José Alves Pimentel e até maio de 1978, era filiada ao Ministério de Coronel Fabriciano.



No ano de 1967, nasceu no coração do maestro Terezinho Honorato Alves o desejo de fundar um grupo que enfocasse a música sacra, ocasião em que foi criado o Conjunto Coral, sob a sua direção e tendo como auxiliar o maestro Ari dos Reis. Já no seu início o coral contava com cerca de 45 componentes e como primeiros conselheiros os irmãos Raimundo Oliveira e Adão Prudêncio.

A partir de dezembro de 1972, a igreja passou a ser liderada pelo Pastor Adão Alves de Araújo que, por gostar muito de música, deu todo o apoio não só na continuidade do coral, como também na formação da banda de música, o que ocorreu anos mais tarde.

No ano de 1985, por iniciativa dos próprios componentes, o coral passou a ser chamado “CORAL VENCEDORES COM CRISTO”, pois com Cristo, “somos mais que vencedores” (Romanos 8:37). Em 19 de janeiro de 1987, o então evangelista José Lopes da Conceição, foi indicado e nomeado pela direção da igreja, como coordenador do Departamento Musical, sendo criado um estatuto.

No ano de 1992, o Coral Vencedores com Cristo, comemorou festivamente o seu Jubileu de Prata.

Do ano de sua criação até o presente momento, o Coral Vencedores com Cristo, esteve sob a direção de vários e abnegados irmãos, sendo eles: Terezinho Honorato Alves (in memorian), Ari dos Reis, Fidelcino Martins, João Januário, Agostinho de Sousa Tavares, Eleudes Canêdo Lopes, Valdivino Benjamim de Oliveira, José Leôncio de Oliveira, Elias Eduardo de Sousa, Luciléia Garcia, Marina Silva, Suely Nunes, Noadias Sousa, Jussara Siqueira Amorim, Delminha, Everson Salazar, Francisca Helena, Maria Félix, Misael Ramos de Almeida, Emerson de Lima, Stanrley Nunes, Rosely Alves Tito. Atualmente o coral está sob a regência da maestrina Rosimary Alves da Silva Campos Martins e a coordenação está sob a responsabilidade do presbítero Hodécio Tito e sua esposa Vilma Tito. A equipe ainda é formada pela secretária Marta Chaves, a tesoureira Eunice Chaves e como conselheiras: Zélia Ramos e Arlete Brito.

Apesar das adversidades, não medindo esforços o Coral Vencedores com Cristo vem construindo sua história, levando a sério o IDE de Jesus, atendendo a vários convites, tais como: viagens evangelísticas, apresentações especiais em lugares públicos e privados, inaugurações de templos, visitas a igrejas, realização de cantatas, alvoradas e tantas outras atividades.

Nos dias 28 e 29 de outubro de 2017 o Coral Vencedores com Cristo, comemorou com grande festa o seu Jubileu de Ouro. Vários corais da região que é conhecida como Vale do Aço, compareceram e tributaram lindas canções em louvor ao Senhor. Na oportunidade queremos parabenizar ao Coral Vencedores com Cristo, bem como aos esforços da maestrina Meire Alves para o sucesso do evento, e a quem agradecemos por nos ceder gentilmente este texto histórico.


Crédito de fotos disponibilizadas: Blog do Silas http://blogdosilas.com/

ANEXOS:

       Crentes reunidos no antiga sede da igreja no Bairro Timirrim (1975)


Capa do informativo ADORE que circulava na sede, com destaque para as comemorações dos 40 anos do coral, em junho de 2007


                       Ex-regentes do Coral Vencedores com Cristo


Coral Vencedores com Cristo, na regência 
da maestina Eleudes Canedo Lopes

Templo-Sede das Assembleias de Deus Ministério de Timóteo - MG



    Coral Cantando na comemoração do Jubileu de Ouro - 28-10-2017


     Coral Cantando na comemoração do Jubileu de Ouro - 28-10-2017




                       Coral Vencedores com Cristo, cantando durante a
                                            festa do Jubileu de Ouro

domingo, 5 de novembro de 2017

IGREJA MEMORIAL DE BRASILIA, INVESTINDO EM MÚSICA SACRA

Um grande exemplo de investimento de uma igreja na área musical, vem da Igreja Memorial Batista de Brasília (DF). A igreja foi organizada em 22 de julho de 1960 sendo alguns dos seus 44 fundadores egressos da PIB de Brasília. O Templo foi inaugurado em 15 de dezembro de 1962; a Igreja contava, então, com menos de 200 membros. A Igreja Memorial Batista integra o rol das Igrejas da Convenção Batista do Distrito Federal e da Convenção Batista Brasileira. Hoje, a Igreja Memorial Batista de Brasília conta com mais de 2 mil membros.


O Ministério de Música da Memorial Batista é estruturado com a visão de que a função primordial da música é ministrar às necessidades espirituais dos membros e congregados da Igreja. Por isso, é instrumento que comunica os sentimentos profundos da alma. Também é um canal importante para as pessoas adorarem a Deus. Educar, suprir as necessidades espirituais das pessoas e evangelizar, anunciando a todos o amor transformador de Jesus Cristo, é ainda a finalidade do ministério.

A Memorial Batista investe em música sacra. São seis coros, que congregam aproximadamente 450 pessoas, assim distribuídos:

01 - Coro Memorial - O Coro Memorial tem 90 vozes. Foi o primeiro da Igreja. Cantou durante a fase inicial da Igreja, em 1962, quando o templo não existia e os membros se reuniam em um barracão de madeira. Entre outros espaços, fez apresentações no Teatro Nacional de Brasília e na Câmara dos Deputados. O Coro Memorial possui acervo musical de cerca de 600 títulos entre oratórios, cantatas e hinos. Interpretou nomes consagrados da música como Palestrina, Bach, Handel, Beethoven, Mozart, Haydn, Mendelssohn, Saint-Saens, Peterson e Stainer.

02 - Coro Mensageiros da Paz – Sessenta pessoas integram este coro.

03 - Coro Jovem – São 45 componentes.

04 - Coro de Adolescentes - Com 60 vozes.

05 - Coro Crescer – Composto por crianças atua em uma parceria do Ministério de Música com o Ministério Crescer.

06 - Coro Vozes do Coração – É formado por pessoas surdas que se expressam apenas com as mãos. É uma parceria com o Ministério com Surdos.

Mais louvor - Além dos seis coros, a Memorial tem grupos que se apresentam em momentos diferenciados. São o Coro da Juventude (que une jovens e adolescentes), o Coro Madrigal (que reúne profissionais da área musical), o coro de mulheres integrantes do Ministério Mulher Cristã em Ação e o Coro de Homens. Os coristas são voluntários e participam de ensaios aos sábados e apresentações nos cultos aos domingos (manhã e noite).

Projetos e atividades musicais - Além de cantar nos cultos, os coros preparam e apresentam musicais e cantatas em datas festivas como Natal e Páscoa, participam de viagens missionárias e intercâmbios com outras igrejas.
A experiência dos coristas vai além do templo. Os músicos já se apresentaram pelo Brasil, em viagens para o Amazonas, Maranhão, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Rio Grande do Sul. Também marcaram presença em apresentações internacionais em Portugal, na Espanha, no Chile e nos Estados Unidos.

Atualmente está à frente deste grande exército musical, o Ministro de Música Antônio Henrique Lino Melo e Silva e para ajudá-lo nessa grande tarefa, os corais contam com o acompanhamento de piano, órgão e orquestra filarmônica. Tudo isso, para engradecimento do Reino de Deus.

Fonte: Site da IMBB - http://www.imbb.org.br/2012/index.php…

ANEXOS:

          Templo da Igreja Memorial Batista de Brasília - DF
               Coro Memorial em frente ao Templo da IMBB






          Templo da Igreja Memorial Batista de Brasília - DF

              Coro Memorial apresentando uma Cantata de Natal


                  Coro Memorial cantando o hino "VIDA COMPLETA"

Pastor ELISEU FEITOSA DE ALENCAR

Evangelista, ex-missionário, pregador, pastor e fundador da Assembleia de Deus (Ministério Madureira­) em Campo Grande – MS.

Eliseu Feitosa de Alencar nasceu em 20 de novembro de 1930, na cidade de Lábrea (AM). Casado com a missionária Dúlcila Araújo de Alencar, que lhe deu cinco filhos: Elias, Eri, Eliel, Enos e Éber. Ordenado pastor em 1948.

Ministro evangélico, escritor, conferencista, advogado, líder de um ministério abençoado. É um dos vultos na história de atuação das Assembléias de Deus no Brasil, onde seu nome consta como um dos pioneiros do evangelismo no Brasil nas décadas de 50 a 90, através de intenso trabalho, coragem, e excelente testemunho cristão, entre os índios Macuxis, na fronteira Brasil-Venezuela e ao longo da Amazônia, São Paulo e outros estados brasileiros, onde o seu talento foi reconhecido como o de um homem enviado de Deus.



Em 1962, Eliseu Feitosa pastoreava a Assembleia de Deus em Boa Vista, então Território de Roraima, quando ciente da existência de tribos indígenas na divisa do Brasil com a Venezuela e as Guianas, sentiu da parte de Deus o desejo de evangelizá-los. O primeiro contato do pastor Eliseu com os índios Macuxis deu-se ainda nesse ano, resultando na conversão de 45 deles.

Em 1964, durante a realização da Convenção Geral em Curitiba, pastor Eliseu promoveu a primeira campanha em favor dos índios, conseguindo apoio e roupas para vesti-los. O trabalho missionário se desenvolveu e ao deixar Roraima, pastor Eliseu deixou a responsabilidade dessa missão ao seu irmão carnal, José Feitosa de Alencar.

No ano de 1965, foi convidado pelo Pastor Cícero Canuto de Lima para assumir a direção da Assembleia de Deus em Campo Grande (MS), onde cumpriu um pequeno período de junho a dezembro daquele ano. Ao mudar-se para São Paulo, foi lhe entregue pelo Pastor Cícero de Lima, a direção da AD do Bairro da Lapa. Nessa ocasião, acompanhou o Pastor Anselmo Silvestre numa longa viagem à Europa, percorrendo as cidades de Lisboa (Portugal), Compenhague (Dinamarca), onde se encontraram com o Missionário Eurico Bergstén. Dali, fazendo a travessia a barco, visitaram Malmo, cidade da Suécia. Nesta e várias outras cidades suecas, incluindo a capital Estocolmo, Pastor Eliseu pregou a Palavra de Deus. Ele também teve a oportunidade de visitar e pregar na Finlândia, Dinamarca, França e Espanha. Na Suécia, durante a Conferência Mundial das Assembléias de Deus, foi chamado de "O Trovão Brasileiro" pela imprensa daquele país.

Na Convenção Geral de 1966, realizada em Santo André (SP), pastor Feitosa foi eleito 1º secretário da Mesa Diretora dos trabalhos convencionais.

Depois de sua passagem por São Paulo, foi designado novamente para pastorear a AD em Campo Grande (MS), ligada ao Ministério do Belém, onde permanceceu de 13 de março de 1970 a março de 1972. No ano de 1971, foi eleito 1º Secretário da Mesa Diretora da CGADB realizada em Niterói.

Por questões administrativas, foi desligado do Ministério do Belém e da CGADB no dia 02 de março de 1972, conforme publicação do jornal Mensageiro da Paz, nº 14 página 10. No dia 06 de dezembro de 1972, pastor Eliseu Feitosa fundou o Ministério das Igrejas Evangélicas Assembléia de Deus de Mato Grosso, na cidade de Campo Grande (MS), do qual foi o presidente por 35 anos. Capacitado pelo Espírito Santo, ele e seus companheiros realizaram um intenso trabalho que no ano de 2001 contava com 78 igrejas na capital, 80 no interior sul-mato-grossense e muitas outras igrejas filiadas nos demais estados.

Onze anos depois, pastor Eliseu foi reintegrado à CGADB, durante a convenção geral realizada no ano de 1983, em Aribiri – Vila Velha (ES). No dia 1º de março de 1973, acompanhado de 170 outros pastores de seu campo ministerial, ingressou na CONAMAD (Ministério de Madureira). Na convenção geral realizada no ano de 1985 em Anápolis (GO), pastor Eliseu foi eleito 3º secretário da Mesa Diretora da CGADB.

Bacharel em Teologia, formado em Ciências Jurídicas, Doutor em Divindade pela Faculdade LOGOS de Ensino Superior em São Paulo, Doutor e Mestre em Teologia pela Universidade Teológica de São Paulo. Em 2001 era o presidente do Instituto Bíblico Alencarino – IBA.

Pastor Eliseu Feitosa de Alencar foi reconhecido entre as Assembleias de Deus no Brasil nas décadas de 60 e 70 como um de seus mais eloqüentes e talentosos pregadores e profundo conhecedor da Bíblia, sendo freqüentemente convidado a ministrar estudos bíblicos. Sua vida faz parte do quadro de pioneiros do evangelismo pátrio. Idealizador, fundador e Presidente da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Mato Grosso do Sul e da Convenção Regional das Assembléias de Deus de Mato Grosso do Sul. Pastor de Honra da Convenção de Madureira - CONAMAD. Liderou a construção de mais de 200 templos de cujas igrejas foi o presidente. Realizou ao longo de vários anos, alfabetização e evangelização na Amazônia, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e outras regiões, demonstrando operosidade incansável, firmando o seu invejável talento de homem de Deus.


Demonstrando energia ímpar, pastor Eliseu exerceu cargos honrosos no seio da família assembleiana, tais como: membro do Conselho Administrativo da Editora Betel; membro da Mesa Diretora da CONAMAD; conselheiro da EETAD; cidadão Campo-grandense com diploma outorgado pela Câmara Municipal de Campo Grande (MS), cidadão Douradense com diploma outorgado pela Câmara Municipal de Dourados; Presidente da CORAMEMS em Mato Groso do Sul; além de outros importantes setores das Assembléias de Deus, tais como: Pastor Presidente Fundador da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Mato Grosso, Pastor Presidente Fundador da Igreja Evangélica Assembléia de Deus Paulistana. Fundador das Assembleias de Deus do Ministério de Madureira nos Estados do Rondônia, Acre, Amazonas e Roraima. Presidente de Honra da Convenção Nacional de Madureira CONAMAD, membro do Conselho da Editora Betel, escritor com várias obras editadas, advogado pela FUCMT, doutor em Divindade pela UNITESP - Universidade Teológica de São Paulo, mestre em Teologia pela UNITESP - Universidade Teológica da São Paulo, doutor em Teologia - Faculdade Logos de Ensino Superior. Pastor Eliseu Feitosa, fez de sua atividade, seu instrumento de transformação do mundo para que todas as pessoas de sua área, a missão evangélica, e, principalmente os integrantes da sociedade brasileira como um todo, tenham ciência da vida religiosa de maneira mais lúcida e verdadeira.

Um breve relato de milagre, entre muitos, do que aconteceu com o pastor Eliseu: Um desânimo sem igual o tomou de maneira extremamente forte, chegando a pensar em largar a obra e sua missão pastoral. O pensamento tomou vulto fazendo com que ele decidisse abandonar o trabalho do Senhor. Felizmente desistiu de seu intento, graças às orações de sua esposa, a missionária Dúlcila, que o fez lembrar-se de sua chamada ao trabalho do Senhor, chamado este recebido ainda na sua infância. No diálogo, analisando as palavras de sua esposa, ele ponderou: "Você está disposta a viver com um vestido só e comer jacuba (farinha com água e rapadura)?". Ela prontamente, respondeu-lhe: "Por amor a Jesus, estou disposta!". A noite chegou, e eles foram para o culto. No dia seguinte, logo cedo, como fazia todos os dias, pastor Eliseu foi ao Correio verificar se havia correspondência. O funcionário ao vê-lo, falou: "Não tem nada para o Senhor". Mas, verificando também o volume das cartas, exclamou admirado: "Espera, tem um vale postal aqui!". Olhando bem para o vale, disse: "São 5.000 cruzeiros!" Pastor Eliseu assinou o recibo, recebeu o dinheiro e voltou muito alegre para casa. Chegando ao lar, abraçou a esposa Dúlcila, dizendo: "Aqui está o resultado da sua fé! Recebi um vale de 5.000 cruzeiros, e não sei quem mandou!". O dinheiro deu para comprar um vestido novo para Dúlcila e um terno para ele, e ainda jabá, feijão, arroz e outros alimentos. Muito feliz, logo à noite foi dirigir o culto, que além de muito abençoado, seis pessoas se converteram a Jesus. Vale a pena ter fé!

No dia 23 de agosto de 2007, pastor Eliseu foi recolhido pelo Senhor ao descanso eterno, contando na ocasião 76 anos. Um de seus filhos, pastor Eliel Araújo Alencar o sucedeu na liderança da AD em Mato Grosso, com sede em Campo Grande. Os demais filhos também são pastores líderes de grandes igrejas em São Paulo.

ANEXOS:

   Pastor Eliseu Feitosa de Alencar e esposa Dulcila Araújo de Alencar no serviço de evangelização na Amazônia

   Antigo Templo-Sede da Assembleia de Deus em Campo Grande (MS)

                  Pastor Eliseu Feitosa de Alencar e sua família 

    Pastor Eliseu Feitosa Alencar assentado no púlpito da AD em Campo Grande

   Desfile realizado pela AD em Campo Grande, na década de 1970

Pastor Eliseu Feitosa de Alencar (de terno claro) ao lado de outros pastores

    Templo-Sede das Assembleias de Deus em Campo Grande (MS) - CONAMAD

sábado, 21 de outubro de 2017

CORAL MANANCIAL DE LOUVOR, 79 ANOS DE LOUVOR EM SÃO LUÍS

A história dos corais, trás ao nosso conhecimento o início difícil, as lutas para o desenvolvimento do grupo, porém, e, sobretudo as vitórias alcançadas. Infelizmente, muitos corais pelo Brasil a fora, estão parados, suas vozes não abrilhantam mais os cultos, mas, outros conseguiram sobreviver como é o caso do CORAL MANANCIAL DE LOUVOR, o mais antigo grupo musical do Templo Central da Assembleia de Deus em São Luís (MA), que há quase oito décadas presta um valioso serviço para o reino de Deus. A igreja na capital maranhense tem como líder o Pastor José Guimarães Coutinho. 



O Coral Manancial de Louvor foi fundado no dia 11 de março de 1938 em um culto de domingo à noite. Na época presidia a Igreja o Pastor José Bezerra Cavalcante, tendo como organizador e primeiro regente, o seu filho Josué Bezerra Cavalcante.

No dia 06 de março de 1938, numa terça-feira às 19h30min reuniu-se a mocidade e mais algumas pessoas casadas para efetivarem a anunciada organização e ensaiar o primeiro hino a quatro vozes, o hino escolhido para início do coral foi o de número 383 do Cantor Cristão “SATISFAÇÃO”, o hino cujo refrão diz: ”Metade nunca se contou, do amor de Deus Jeová”. Esta informação consta no histórico deixado pelo próprio maestro Josué Bezerra Cavalcante (segundo depoimento de um dos coristas) mas existe uma outra versão contada inclusive por coristas pioneiros da época da fundação, de que o primeiro hino cantado pelo coral foi o de nº 236 do CC, "ATRIBULADO CORAÇÃO". Ambos, os hinos são de grande valor, pois faz parte da história de vida de muitos irmãos em Cristo.

Naquele tempo ainda não existia o nosso hinário (Harpa Cristã) com música, o hinário “Coros Sacros” não era conhecido e era publicado em panfleto. Havia grande dificuldade em conseguir hinos apropriados para o canto coral uma vez que não existia livraria evangélica na cidade. Para solucionar o problema, o regente Josué Cavalcante, que já tinha o “Cantor Cristão”, tomou emprestado de um irmão presbiteriano o hinário Salmos e Hinos e com isso foi criando o repertório do coral. Depois de organizado o coro, os componentes ficaram assim distribuídos: (Vale a pena relembrar dos nomes)

Sopranos: Maria Oliveira, Otalina Bezerra, Engracia Pinho, Dolores Santos, Terezinha Santos, Eunice Pereira, Judite Leite, Ester Leite, Elvira Gomes, Benedita.
Contraltos: Maria de Lourdes, Lúcia Adler, Rute Garcia, Maria Neves, Argemira Pereira (Zizi).
Tenores: Pedro Militão, José Santos, Simão Pires, Manoel Lopes, Severino Sousa, João Chaves.
Baixos: Josué Bezerra Cavalcante, Aldenor Pires, André Azevedo Santos, Paulino Chaves. Perfazendo um total de 25 componentes.

Convém salientar que, levando-se em consideração o tamanho da igreja e a exigüidade do salão de cultos, esse coro era muito grande representando 20% do espaço ocupado. A sua estréia em 11 de março de 1938 foi causa de grande admiração e de nota predominante em toda a igreja. O pastor ficou muito satisfeito não só pela vida e brilhantismo que o coro dava aos cultos, como também ver o seu filho ocupando no trabalho do Senhor Jesus.

O maestro Josué Bezerra esteve à frente do coral por quase seis anos e por motivo de trabalho foi transferido para Belém do Pará. No dia 02 de outubro de 1943 despediu-se da igreja e do coral em São Luís, deixando como seu sucessor, Pedro Militão Mendes, seu aluno, jovem inteligente e aplicado em teoria e solfejo musical. O irmão Militão esteve à frente do coral de 02 de outubro de 1943 a 10 de abril de 1961 o dia que o Senhor chamou para o descanso eterno. Período áureo do coral, sendo este o único grupo de cântico da Igreja, muitos componentes participavam do coral.

Em 1961, após o falecimento de Pedro Militão, assume a regência do coral o maestro Lázaro Costa permanecendo até início do ano 1968, período em que o coral continuou crescendo e glorificando o nome do Senhor Jesus através do louvor. Com o crescimento da igreja em São Luís, o surgimento de novas congregações, o coral da igreja serviu de estímulo impulsionando o surgimento de outros corais na capital e outras cidades do interior, sendo este o pai de todos os corais da AD maranhense. Nesse período o coral participava ativamente dos trabalhos evangelísticos da igreja, inclusive em programas radiofônicos ao vivo sob a direção do saudoso Pastor Estevão Ângelo de Souza. Também o grupo chegou a gravar um disco, porém a gravação não chegou a ser divulgada. No início 1968, Lázaro Costa deixou a direção do coral e ficou somente como regente da banda musical até o ano de 1975, quando se 
mudou com a família para o Rio de Janeiro. Com a saída de Lázaro, assume a direção do coral o regente Paulo Teixeira Souza, onde dedicou um total de 45 anos ininterruptos (1968-2013).

No ano de 1988, sob a direção do pastor Estevão Ângelo de Souza e do Regente Paulo Teixeira, foi celebrado, em um clima de muita alegria e fervor espiritual, o Jubileu de Ouro do Coral Manancial de Louvor, com encontro de corais das congregações, homenagens aos coristas e fundadores do Coral como irmã Judite Leite e Sant Clair Neves, sendo um evento marcante na história da igreja.

Convém ressaltar que somente no ano 2000 o Coral passou a ser chamado Coral Manancial de Louvor, pois antes era conhecido somente como Coral Central da Assembleia de Deus. A sugestão foi dada pelo atual líder da AD em São Luís, Pastor José Guimarães Coutinho.

No início do ano 2013 por motivo de problemas de saúde o maestro Paulo Teixeira ficou ausente e o co-regente do coral, o irmão Lino Oliveira assume a direção do início de 2013 até março de 2016.

Em fevereiro de 2014 chega ao Templo Central o maestro Wadson Fernandes Viana, jovem com formação superior em música e passa a auxiliar o irmão Lino Oliveira e desde marco de 2016 está à frente do Coral Manancial do Louvor, juntamente com o pianista Joel Tavares Silva trazendo um novo estilo para o Coral com música contemporânea, porém, mantendo as músicas clássicas.

Em outubro de 2016, o coral esteve presente no 36º FEMACO - Festival Maranhense de Coros, promovido pela Universidade Federal do Maranhão, sendo esta a primeira vez que o coral assembleiano participou.

Durante 79 anos, ininterruptamente, o Coral Manancial de Louvor vem abrilhantando os cultos e eventos especiais do Templo central da AD em São Luís e aonde é convidado para louvar Deus. Muitos são os frutos colhidos ao longo desta trajetória: frutos de louvor, frutos de conversão, de despertamento e de aproximação com Deus, a quem pertence toda Gloria, Honra, e todo Louvor. Infelizmente, ainda não conseguimos um vídeo com apresentação do coral, para melhor ilustrar esse histórico. Fica me devendo prezado maestro Wadson Fernandes! rsssss....

Quero agradecer de modo especial ao diácono Istândio Pereira Rodrigues e sua filha Ester Oliveira pelo texto histórico e pelas fotos que me foram enviadas. Recentemente, tive a grata satisfação de recebê-los em minha casa.
Parabéns ao coral maranhense, ao maestro Wadson Fernandes pelo bom trabalho que vem desenvolvendo e que o Senhor continue vos abençoando cada vez mais.


ANEXOS:

           Templo Central da Assembleia de Deus em São Luís (MA)


  Coral Manancial de Louvor, comemorando o Jubileu de Ouro, em 1988


Pastor Estêvão Ângelo de Sousa, maestro Paulo Teixeira e esposa, e outros irmãos rodeando o bolo comemorativo do Jubileu de Ouro do Coral Manancial de Louvor



         Coral Manancial de Louvor cantando no Templo Central em São Luís



             Pastor José Guimarães Coutinho e os antigos maestros 
                                                 sendo homenageados

           Pastor Guimarães e o atual maestro, Wadson Fernandes Viana

           Templo Central das Assembleias de Deus em São Luís (MA)


   Coral Manancial de Louvor participando do 36º Femaco, em São Luís (2016)


               Coral Manancial de Louvor cantando o hino "SOSSEGAI"