Chegando lá.

Este blog tem o objetivo de aproximar-me mais de você amigo blogueiro e através do mesmo compartilhar idéias, artigos interessantes, fotos, poemas e pensamentos. Desde já agradeço pelo teu prestígio, companhia e comentários. Sejam Bem Vindos!



quinta-feira, 14 de setembro de 2017

CORO DA PIB DA PENHA (SP), 74 ANOS DE HISTÓRIA

Convido-lhes a conhecer mais uma história.

É notório que as igrejas tradicionais, tais como: Assembleia de Deus, Batista, Presbiteriana, Metodista e Adventista do Sétimo Dia, se preocupam muito com a educação musical de seus membros e por isso a existência de lindos corais, excelentes quartetos, bandas e orquestras magníficas.

Como exemplo, o destaque de hoje é o Coro Principal da Primeira Igreja Batista da Penha, em São Paulo, que tem a liderança do Pastor Eliezer Victor Pereira Ramos.




O Coro da PIB da Penha iniciou suas atividades no ano de 1943 e, desde essa data, tem cumprido com destaque o seu papel de, através da música, glorificar a Deus, edificar os crentes e testemunhar do Evangelho de Cristo, nas atividades regulares da igreja e em outras atividades, nesse Estado e em vários outros Estados do Brasil.

Além de vários antemas sacros e cantatas contemporâneas, o coro tem apresentado também obras sacras dos grandes mestres da música, como: “A Criação” de Haydn, “O Messias” de Handel, “Elias” de Mendelssohn, “As Sete Últimas Palavras de Cristo” de Theodore Dubois, “Cidade Santa” de R. Gaul, “Glória” de Vivaldi e trechos de vários outros oratórios e cantatas eruditas.

Desde 1991 o coro tem como seu regente o Ministro de música da igreja Urgél Rusi Lóta e tem atualmente como instrumentista acompanhador Wagner Job dos Santos – piano. O coro é dirigido administrativamente por uma diretoria cujo presidente atual é Ivanésio Carrilho Rodrigues e conta com 92 coristas inscritos.

O Ministro de Música Urgél Rusi Lóta, é um nome bem conhecido no meio musical batista brasileiro. Ele é formado em Licenciatura em Música pela UNIRIO e Bacharel em Música Sacra pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. Foi Professor nos Cursos de Música Sacra do SETEBES e da Faculdade Teológica Batista de São Paulo. Foi por três anos Presidente da Associação dos Músicos Batista do Brasil e em janeiro de 2002 recebeu dessa instituição o Premio Arthur Lakschevitz, na categoria Músico Brasileiro.

Iniciou no ministério da música em Novembro de 1977. Foi Ministro de Música na Igreja Batista de Acari-RJ de 02/11/1977 a 31/12/1983 e na Primeira Igreja Batista de Vitória-ES de 01/01/1984 a 31/12/1990. Tomou posse na PIB Penha em Março de 1991.

Urgél lidera o Ministério de Adoração sendo responsável pelo planejamento, coordenação e desenvolvimento do programa musical da igreja.

Nas comemorações dos 60 anos, o coro lançou o CD “Celebrai”, com a participação da orquestra em doze das quinze músicas gravadas. O coro participou também com cinco músicas em “Primícias”, um CD institucional do departamento de música da igreja, lançado no ano de 2000 com a participação de todos os coros e conjuntos vocais da igreja.

A Deus toda honra e glória!

Fonte: Site da PIB da Penha http://www.pibpenha.org.br


ANEXOS:

                           Templo da Primeira Igreja Batista da Penha - São Paulo (SP)

                    Nave do Templo da Primeira Igreja Batista da Penha - São Paulo (SP)

                                   Coral e Orquestra da PIB da Penha - São Paulo (SP)

                                   Coral e Orquestra da PIB da Penha - São Paulo - SP

                            Coro da PIB da Penha cantando o hino: "GLÓRIA PRA MIM"

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

CORAL ASSEMBLEIANO DE LAVRAS, FAZ HISTÓRIA

O maior livro das Sagradas Escrituras é um livro musical. Os salmos expressam louvor e adoração a Deus.

Na Assembleia de Deus a música está presente em todas as igrejas através dos corais, bandas de música, orquestras, conjuntos musicais e através de cantores e cantoras que louvam a Deus em cada culto de adoração. Não importa que seja num templo grande e suntuoso onde os recursos são maiores e podem se orgulhar de possuírem os melhores corais, orquestras filarmônicas, ou numa pequenina igreja, onde existe apenas um pequeno grupo de louvor ou das irmãs do Círculo de Oração, mas a música sempre está presente.

Com isso, não queremos desmerecer as demais denominações onde a liturgia é diferente, onde só um grupo atua ministrando louvores congregacional.

O coral que conheceremos hoje, pertence à uma grande igreja no Sul do Estado de Minas Gerais. Além de seu histórico coral, a Assembleia de Deus em Lavras, possui a Banda Musical, Coral Jovem e Coral Feminino. A igreja foi liderada durante 58 anos pelo saudoso pastor Antônio L. Cerqueira (falecido em agosto de 2015) e atualmente é presidida pelo Pastor Orlando Dias de Souza.



O coral é o grupo musical mais antigo da igreja em Lavras, tendo como a sua primeira maestrina a irmã Alice Olson, esposa do missionário Lawrence Olson. Também já dirigiram o coral o irmão Walter Sales, Pastor Antonio Cerqueira e, atualmente, o coral tem como regente o Evangelista Josué Batista.

Participam do coral da igreja irmãos das mais diversas faixas etárias. Alguns membros do coral louvam a Deus nesse grupo por várias décadas consecutivas e com uma alegria que se renova a cada culto.

Além de hinos da Harpa Cristã e outros hinários tradicionais, o coral possui mais de 100 músicas, entre as quais algumas obras clássicas: Aleluia (Haendel), Jesus Alegria dos Homens (Bach) a Barcarolla (Offenbach). Os hinos são cantados "A Capella" ou com acompanhamento de piano.

Seu ministério não se limita à participação nos cultos, pois também está presente em casamentos, datas festivas, eventos cívicos, batismos e várias viagens para participação em cultos especiais no Sul de Minas.

Fonte: Site da AD em Lavras (MG): http://www.jesussalva.org.br/ 

ANEXOS:

                  Crentes reunidos em frente ao Antigo templo-Sede da AD em Lavras - MG

                    Missionários norte-americanos, pioneiros da AD em Lavras (MG)

                              Templo Central da Assembleia de Deus em Lavras (MG)

                             Nave do Templo Central da Assembleia de Deus em Lavras (MG) 

                               Coral da Assembleia de Deus em Lavras (MG)

                                        Coral da AD em Lavras (MG)

video
              Coral da AD em Lavras, cantando o hino 74 da HC "CRISTO VIRÁ"

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

CORAL A. B. DETER DESTAQUE DA PIB DE CURITIBA

Estamos focalizando hoje mais um coral de destaque da denominação Batista Brasileira. Trata-se do Coral A. B. DETER, que há 70 anos traz um colorido todo especial aos cultos da Primeira Igreja Batista de Curitiba (PR). A igreja é liderada pelo dinâmico pastor Paschoal Piragine desde o ano de 1988.


Fundado em novembro de 1946 por Aga Henck, esposa do pastor da PIB na época, João Henk, o nome do coro é uma homenagem ao missionário Arthur Beriah Deter, um dos fundadores da PIB de Curitiba. O coral foi formado com o propósito de através da música levar uma mensagem de fé e esperança aos ouvintes, além de integrar os cantores a um relacionamento familiar.

Além de participar de vários concursos em Curitiba e viagens missionárias pelo Brasil, Chile e Paraguay, O coral já participou da gravação de CDs da própria igreja e sempre está apresentando o que há de melhor de seu repertório. Os hinos tem acompanhamento de piano ou da orquestra.

Todo final de ano, é realizado o Nataleluia - Espetáculo de Natal da Primeira Igreja Batista de Curitiba, que reúne os coros e a orquestra daquela igreja.

O propósito do Nataleluia é contar de uma maneira diferente, interativa e contemporânea o verdadeiro significado do Natal. Sem perder a tradição e o que ele realmente representa.

Cerca de 500 voluntários: músicos, atores, cantores, roteiristas, cenógrafos, bailarinos, publicitários e muitos outros profissionais ensaiam durante o ano para celebrar em Curitiba o verdadeiro sentido do natal.

Um público de mais de 45 mil pessoas já assistiram o evento e se emocionaram com as apresentações que já acontecem há mais de 15 anos e reúne vídeo, teatro, dança, coral e orquestra num musical que encanta a todas as idades.

A logística do evento é pensada por pessoas que acreditam na proposta do Nataleluia e ajudam na sua viabilização. Os voluntários participam de ensaios e completam a festa com grande alegria e entusiasmo, dando assim testemunho para a cidade sobre Jesus e o que ele significa.

O coral A. B. Deter está aberto a inclusão de novos componentes, podendo participar: pessoas de todas as idades que gostam de louvar ao Senhor. Os ensaios acontecem aos sábados, às 17 horas.

ANEXOS: 

                             Antigo Templo da Primeira Igreja Batista em Curitiba





                                       Templo da Primeira Igreja Batista de Curitiba


                          O grande coral e a orquestra da Primeira Igreja Batista de Curitiba
                                           nas comemorações do centenário da igreja

                                   Coral A. B. Deter e a orquestra da PIB de Curitiba

video
                                   Coral A. B. Deter cantando o hino "SANTA PRESENÇA"

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Pastor LEONEL MUNIZ FILHO

Pastor, Antigo líder da Assembleia de Deus em Resplendor (MG) e um dos fundadores da COMADVARDO.




Entre os pioneiros na evangelização do Vale do Rio Doce, figura o nome do pastor Leonel Muniz Filho, que por vários anos presidiu o campo de Resplendor – MG. Homem dedicado no trabalho do Senhor, exímio ensinador da Palavra de Deus, muito cooperou para o crescimento da Assembleia de Deus no Vale do Rio Doce.  

Natural do Distrito de Ibitiguaçu, no município de Santo Antônio de Pádua (RJ), aos 19 de novembro de 1920, das entranhas do senhor Leonel José Muniz e Dona Altina de Paula Muniz. Ainda cedo, mudou-se com seus pais para a região de Resplendor, onde veio constituir família e conheceu o Evangelho.

Em 1942 contraiu matrimônio com a jovem Noeme Ferreira da Silva, tendo nascido dessa união os filhos: Mirian, Judite, Arão, Moisés, Paulo, Altair, Silas, Sirlea, Elicéia, Leone e Sirlene.

Leonel Muniz, logo após o seu casamento, aceitou a Cristo como salvador. No dia 25 de julho de 1943, foi batizado nas águas pelo pastor Ormídio Siqueira das Neves, e ao mesmo tempo recebeu o batismo com o Espírito Santo. Dedicado e zeloso na Obra de Deus, logo passou a cooperar na igreja, como um dos primeiros auxiliares do pastor Ormídio. 

No mês de julho de 1951, durante as festividades de inauguração do Templo-Sede da AD em Governador Valadares, Leonel Muniz foi consagrado para o ministério de evangelista. No dia 05 de julho de 1959 na mesma igreja, foi ordenado como pastor. Foi um dos pioneiros do evangelho no Vale do Rio Doce, tendo sido também o fundador de diversas igrejas em Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e em São Paulo. Por mais de 30 anos dedicou sua vida como pastor presidente da AD em Resplendor, sendo que seu raio de ação abrangia várias igrejas nos estados vizinhos. Como um grande líder regional que era, ajudou criar a Sub-Convenção dos Ministros das Assembleias de Deus no Vale do Rio Doce (atual COMADVARDO), da qual participou ativamente como membro diretor, por várias vezes.

Durante a sua trajetória pastoral, Leonel Muniz desenvolveu seu trabalho não só pastoreando igrejas, mas também sendo convidado para ministração da Palavra de Deus, em vários lugares de Minas, São Paulo, Rio de Janeiro, Rondônia e outros. No final dos anos 70, ele acompanhado de seu filho Pastor Silas Muniz de Paula, realizou a convite de igrejas, diversas cruzadas evangelísticas. Nessas ocasiões, através da oração da fé, grandes milagres aconteceram como curas de paralíticos e pessoas endemoniadas foram libertas pelo Poder de Deus.

Até o ano de 1989, o Ministério de Resplendor sob sua liderança, era constituído de 04 pastores, 03 evangelistas, 25 presbíteros e 17 diáconos, além de vários cooperadores ativos e um livro de rol de membros, acusando o ultimo número de 6.664 membros, como frutos do seu árduo trabalho na obra do Senhor.

O dia 19 de novembro de 1989, amanheceu com grandes expectativas. Afinal era um dia muito especial. Dia de seu aniversário natalício. Alguns irmãos e amigos já haviam chegado para o evento, outros parentes viajavam fazendo o percurso Ipatinga/Resplendor, utilizando o trem de passageiros da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD). Dentro da programação festiva, constava estudos bíblicos para obreiros e cultos especiais. Pela manhã, ele ministrou estudos bíblicos aos obreiros de seu ministério no púlpito da AD em Resplendor. Ele exortava e enfatizava que os obreiros deveriam permanecer firmes no Senhor. Num determinado momento, ele parou de falar e tombou ao solo morto, deixando todos surpresos. Ao perceber algo errado com o pai, o seu filho Paulo Ferreira Muniz, logo correu para ampará-lo mas, o veterano obreiro já havia partido para Deus.

Ao seu velório compareceram diversos líderes das Assembleias de Deus de Minas Gerais e do Espírito Santo, entre os quais os pastores Antônio Rosa da Silva, (Ipatinga e representante da convenção estadual); Salatiel Fidélis de Souza (Governador Valadares); Esequias Soares (Conselheiro Pena); José Vieira de Souza (Aimorés); Custódio Roque Duarte (Mantena); Delurdes Francisco Guimarães (Mendes Pimentel); José Oscar Pereira (de Cariacia - ES), além de parentes e amigos procedentes de diversos lugares.

Ao entrar no descanso eterno, pastor Leonel Muniz, deixou ações positivas morais, familiares, espirituais e ministeriais dignas de serem imitadas. Deixou também saudosos a sua esposa, irmã Noeme Ferreira Muniz (também já dorme no Senhor), seus 11 filhos, cinco genros, quatro noras, 45 netos e 4 bisnetos além de seus irmãos, cunhados, sobrinhos e outros parentes. Entre os membros de sua numerosa família destacam-se os seus filhos pastores: Moisés Muniz de Paula (residente nos EUA), Paulo Ferreira Muniz (Rondônia) e Silas Muniz de Paula (Ecoporanga - ES), além de dois netos pastores: Elias Muniz (EUA) e Abdias (Tocantins).

Com esta soma de valores espirituais, o pastor Leonel Muniz bem pôde dizer como o apóstolo Paulo: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz me dará naquele dia”.

ANEXOS:

     Pastor Leonel Muniz (de terno cinza e óculos) assentado ao lado de outros obreiros 
                                    no púlpito de uma de suas congregações.

       Pastor Leonel Muniz e outros obreiros em frente ao Templo da AD do Distrito de Nicolândia,                                                         município de Resplendor (MG)

                  Pastor Leonel Muniz (ao centro) e obreiros do Campo de Resplendor (MG)

                                  Pastor Leonel e seu filho, Pastor Silas Muniz de Paula

                  Templo-Sede da AD em Resplendor (MG), inaugurado pelo Pastor Leonel Muniz


 Multidão que compareceu ao velório do Pastor Leonel Muniz (19-11-1989)


Atual fachada do Templo-Sede da AD em Resplendor (MG)       

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

CORAL SALTÉRION SE DESTACA NO PARÁ

Ao compartilhar a história de um coral, meu desejo é que haja mais incentivo e maiores investimentos das igrejas na área musical. Que ao longo dos próximos anos, os líderes das igrejas possam investir não só em construções, equipamentos ou instrumentos musicais, mas também nas pessoas. Que possam ser criadas escolas de música permanente, visando a formação de cantores, instrumentistas e regentes. Que os seminários, oficinas de música e encontros de corais possam fazer parte do dia a dia de cada igreja espalhada pelo nosso país.

As igrejas assembleianas do Estado do Pará são as pioneiras do Movimento Pentecostal Brasileiro, algumas delas já centenárias. Conseqüentemente, os corais também são antigos, porque logo que era fundada uma igreja, os irmãos sentiam o desejo de criar um conjunto coral para abrilhantar os cultos. Mesmo enfrentando dificuldades, o trabalho prosseguia, porque sabiam que não era vão no Senhor.

Hoje apresentamos a história de sucesso do CORAL SALTÉRION, um dos importantes grupos musicais do Templo-Sede da Assembleia de Deus do Campo do Coqueiro, localizado na Avenida Mário Covas, em Ananindeua. A igreja tem como líder já alguns anos, o Pastor Francisco Paulo Pessoa de Carvalho.



O coral foi fundado no ano de 1972 com o nome de “Noivo Celeste”, sob a liderança do saudoso Pastor João trigueiro da Silva. O Grupo começou com um modesto número de 26 Irmãos e irmãs liderados pelo maestro Hildebrando Pacífico, para cantarem em formação Coral.

Anos mais tarde, já sob a liderança do maestro Onilson Rocha da Silva, promoveu-se um concurso interno para trocar o nome do Coral e que após criteriosa avaliação, passou a se chamar “CORAL SALTÉRION”. Surge então uma pequena curiosidade: Porque “SALTÉRION”?. É um nome diferente para um coral, porque os nomes mais comuns são Harmonia Celeste, Vozes de Sião, Louvores de Sião, Acordes Celeste, entre outros. Por certo, os organizadores, liderados pelo seu maestro, após pesquisas diversas chegaram a este nome, baseados na seguinte informação: Saltérion é uma palavra grega que significa Saltério. O saltério (do grego ψαλτήριο psaltêrion "instrumento musical de cordas; espécie de harpa"; de ψαλμός "canto" (como se vê, por exemplo, nos famosos salmos); pelo latim psalterium, "cítara, lira") é um instrumento de cordas geralmente pulsadas ou beliscadas, como a harpa. Sua origem remonta pelo menos a 300 a.C., quando era utilizado para acompanhamento dos Salmos.

O saltério medieval (século XII) compõe-se de uma caixa de ressonância triangular ou trapezoidal munida de sete a dez cordas que se beliscam - daí a sua denominação que designava, na Grécia Antiga, todos os instrumentos tocados com os dedos e não com o plectro.

Ao longo de seus 45 Anos, o Coral tem participado ativamente das atividades da igreja, realizando Cantatas e apresentações especiais em espaços públicos e praças de Ananindeua e outros lugares. Realizou viagens missionárias a várias cidades paraenses e também em algumas capitais e já gravou dois CDs intitulados: ”CANTAI, REGOZIJAI-VOS” E “FALAR COM DEUS, QUE PRIVILÉGIO”.

O maestro, Onilson Rocha da Silva natural de Belém do Pará, filho do Pastor Josias Camelo da Silva e Anabilson Rocha da Silva. Seu pai, de saudosa memória, foi presidente da Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Estado do Pará. Casado com Jacyara do Amor Divino da Silva, é pai de dois filhos: André e Vanessa.
Estudou canto lírico no Conservatório Carlos Gomes, além de cursos de técnica vocal, canto coral, música de Câmara, regência Coral entre outros.
- Participou de vários Encontros e Festivais de Corais em Belém e em outras Capitais.
- Já foi regente dos seguintes Corais: Canto Pará (INSS),
Vida e Saúde (Santa Casa), Coral de Jovens (TC da AD em Belém), Vozes da Amazônia, Coral Embaixadores do Rei, da AD em Capanema (PA) e Coral Canto da Luz (Rede CELPA).
- Além de reger o “Saltérion” o maestro Onilson Rocha ministra aulas de Técnica Vocal, Canto Coral tanto em sua cidade, como também em outros lugares onde sua presença se faz necessária.

O Coral Saltérion que atualmente conta com cerca de 53 componentes, continua firme no propósito de apresentar o melhor para o Senhor nosso Deus, tendo como presidente o Pastor Francisco Paulo Pessoa de Carvalho, líder da Assembleia de Deus Campo do Coqueiro, em Ananindeua. Atuam como regentes os maestros Onilson Rocha da Silva, Heitor Pinheiro, contando com a valiosa colaboração do pianista Jeremias Junior.

ANEXOS:

                               Templo-Sede Campo do Coqueiro - Ananindeua (PA)

                     Nave do Templo-Sede da AD Ministério do Coqueiro - Ananindeua - PA


                                      Capa do 2º CD gravado pelo Coral Saltérion




video
                                   Coral Saltérion cantando o hino: "ENTRADA FESTIVA" 

sábado, 12 de agosto de 2017

CORAL HARMONIA DE SIÃO - 59 ANOS EM PETROLINA

Para que nossas histórias tenham plena continuidade, preciso e aguardo colaborações de alguns amigos de: Teresina (PI), São Luís (MA), Fortaleza (CE), Franca (SP), Araguari (MG), Foz do Iguaçu (PR) e outros lugares.

Mas, até que isso aconteça, quero que conheçam a história de mais um coral nordestino. Como já foi dito aqui, a Assembleia de Deus em Pernambuco, tem se esforçado na preservação de algumas tradições, entre elas o canto coral.

O CORAL HARMONIA DE SIÃO, tem realizado um importante serviço na Assembleia de Deus em Petrolina (PE), cuja igreja tem como líder o Pastor Waldemir Farias.



Por volta de 1945, a Assembleia de Deus ainda não havia chegado a Petrolina, mas alguns irmãos da cidade de Juazeiro (Bahia) resolveram atravessar o Rio São Francisco com o objetivo de evangelizar a cidade vizinha. Passado algum tempo, os irmãos começaram a realizar cultos na casa da irmã Maria Maciel. Ela e seu esposo, José Maciel, foram os primeiros crentes desta igreja.

Em 1950, a igreja foi oficialmente estabelecida na cidade pernambucana e em janeiro de 1952 chega o saudoso Pastor Odilon Barbosa Gomes, como sendo o primeiro pastor e lá permaneceu por 12 anos, quando houve um grande desenvolvimento espiritual e numérico de fiéis.

Durante o seu pastorado, no ano de 1958 foi fundado o Coral Harmonia de Sião. O grupo deu seus primeiros passos sob a direção da maestrina Ivonise Vasti, da Igreja Batista em Petrolina, o qual foi de grande importância no início.

Durante os 59 anos de atuação do coral já passaram pela regência, diversos maestros entre os quais: Abinadabe Ferreira, Maria Fortunata, Cida Felix, Davi de Aquino e Paulo Francisco. Atualmente está à frente do Coral o maestro Edson Queiroz.

Na atualidade o Coral Harmonia de Sião, continua em plena atividade musical, louvando ao Senhor no Templo-Sede da AD em Petrolina e em outros eventos. A cada ano, a igreja é convidada a comemorar festivamente o aniversario do coral, quando outros corais, cantores e quartetos também comparecem e tem participação especial.

Que Deus continue abençoando os coristas de Petrolina, bem como a seu maestro para que continuem firmes e constantes, sempre abundantes na Obra do Senhor.

Fonte: http://www.franciscoevangelista.com/


ANEXOS:

                                               Coral Harmonia de Sião 

                                                 Coral Harmonia de Sião

                          Inauguração do Antigo Templo-Sede da AD em Petrolina (PE)

                                 Templo-Sede da Assembleia de Deus em Petrolina - PE 


                                     Nave do Templo-Sede da AD em Petrolina - PE

                      Coral Harmonia de Sião cantando em um dos cultos da AD em Petrolina

                           Coral Harmonia de Sião, cantando o hino "TRONO BRANCO"

Pastor JOÃO ALVES CORRÊA

Evangelista, pastor, antigo líder do Ministério de Santos (SP) e Ex-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil.


Natural da cidade de Tibagi (PR) João Alves Corrêa, nasceu no dia 22 de setembro de 1914. Era filho do casal Ernesto Corrêa e Olívia Alves Corrêa. Seu pai foi adotado e criado por um fazendeiro muito rico. João Corrêa foi então criado em fazendas no Paraná e São Paulo. Depois de ter lutado na Revolução na década de 30, em São Paulo e saído como oficial do Exército por honra tornou-se um jovem perverso e briguento.

Converteu-se ao Evangelho de forma milagrosa no dia 18 de agosto de 1935, após ter sido arrebatado em espírito naquela noite, em seu quarto. Em 20 de agosto de 1935 foi à igreja para reafirmar sua conversão. Em 29 de março de 1936 foi batizado nas águas na Fazenda de Morro Azul, lugar onde se converteu, pelo pastor Bruno Skolimowsky.

Em 1938, foi separado para diácono pelo pastor André Bernardino da Silva. No ano de 1939 após a ida do pastor André Bernardino para Mogi Mirim e João Corrêa, assumiu todo o campo de Itararé (SP) até a chegada do pastor Alfredo Reykdal.


Casou-se em 23 de maio de 1942 com Carmita Maciel Corrêa, e como não havia pastor, ele mesmo realizou a cerimônia de seu casamento. O casal teve 12 filhos, entre os quais o pastor Paulo Alves Corrêa, atual presidente do Ministério das AD de Santos; pastor João Alves Corrêa Filho, que dirige o campo de Praia Grande; pastor Elizeu Alves Corrêa, que dirige a AD em Ubatuba; o missionário Elias Alves Corrêa, que está em Orlando – EUA, e Nehemias Alves Corrêa, que está em Los Ângeles - EUA. 

Em 1941, ainda na cidade de Itararé, foi consagrado presbítero e comissionado a evangelista pelo pastor Bruno Skolimowiski. A partir desse ano, passou a dirigir oficialmente o campo de Itararé. Trabalhou como evangelista até o dia 15 de julho de 1943, quando foi ordenado pastor, também pelo pastor Bruno Skolimowski, sempre buscando a orientação do Espírito Santo de Deus e vivendo uma vida digna da vocação a qual foi chamado.

No ano de 1944, foi para a capital, São Paulo, a convite do pastor Bruno Skolimowiski. Começou cooperando na AD do Belenzinho, e no ano seguinte, 1945 foi trabalhar na congregação do Bairro Itaquera, de onde saia para evangelizar às 06:40 hs. da manhã e retornava às 22:40 horas, evangelizando o dia inteiro sem parar. Este período de sua vida foi marcado pela fome, onde tomava lanche ou almoçava na casa de alguns irmãos.

Em 1946 quando o Pastor Cícero Canuto de Lima assumiu a liderança da AD Ministério do Belém, o pastor Corrêa trabalhou ao seu lado como seu vice-presidente. Nesse mesmo ano, após um acidente que ocorreu ao voltar de uma ministração da ceia em Indianápolis, passou a usar muletas. Daí então foi mandado de volta para Itaquera, pois não podia subir ladeira.

Em 1948 foi convidado a assumir o pastorado em Catanduva - SP, onde aceitou após pedir confirmação à Deus através de três sinais: cura de seus filhos que estavam com catapora, cura dos mesmos da tosse comprida, e revelação de como era o campo. A catapora secou, a tosse comprida desapareceu e em sonho o Senhor lhe revelou o campo. A igreja não possuía nenhum recurso, começou o trabalho lá em 20 de julho de 1948, colocando a igreja em jejum e oração constante. Após muitas lutas, deixou o trabalho em Catanduva apto para qualquer pessoa trabalhar. Nesse mesmo ano, junto com outros obreiros oficializaram no Estado de São Paulo o Culto com a Mocidade, sendo o primeiro culto dirigido por ele, e um dos muitos que dirigiu foi no Vale do Anhangabaú, com mais de 10 mil jovens e 338 músicos.

Homem de palavra, entre o período de 1944 e 1948, passou grande sofrimento com sua família, sendo que um deles era a fome, trabalhou de servente de pedreiro, carregador de saco de algodão e não devia para ninguém. Como ele mesmo disse: "Nunca tratei para não cumprir, mantinha sempre a minha palavra, pois aprendi assim".

Ainda em 1948, foi convidado para ir pastorear a AD do Bairro da Lapa, então começou a orar e no final de três meses teve uma revelação onde foi confirmado que o Senhor o queria naquele lugar, então em 20 de julho de 1951 foi para a Lapa. Chegando lá encontrou cinco congregações e duas eram divididas. Todo o domingo fazia cinco, seis cultos ao ar livre e as almas começaram a se render aos pés do Senhor. Trabalhou ali durante oito anos, onde conseguiu abrir 53 congregações, comprando terrenos em Osasco, Carapicuíba, Itariri, Vila Miriam e muitos outros.

Em 1954 a convite do pastor Cícero Canuto de Lima começou a trabalhar na Igreja-Sede do Belém como pastor vice-presidente, atendendo toda a capital e interior, evangelizando de casa em casa e fazendo muitas visitas. Servo dedicado teve muitas experiências com Deus, inclusive com curas, mas sua dedicação maior foi com a salvação de almas e batismo com o Espírito Santo, e quando necessário orava pelos enfermos e o Senhor os curava.




Em 11 de Fevereiro de 1962, assumiu o pastorado da AD em Santos - SP, após a morte do pastor Bruno Skolimowsky, que era o pastor naquela época. Encontrou em Santos somente sete congregações e cerca de 20 pelo campo, perfazendo um total de 27 congregações. Com a determinação de sempre, empenhava-se em fazer cultos ao ar livre, de três a quatro cultos em vários locais e assim Deus confirmava seu trabalho, pois as almas se rendiam aos pés do Senhor e os templos foram enchendo-se. Até então, na AD em Santos, não havia reuniões do Circulo de Oração organizado com as irmãs, e com a graça e sabedoria de Deus oficializou o Circulo de Oração, assim também como não havia Culto de Mocidade, o trabalho de jovens não era oficializado. Com muito trabalho o número de jovens foi crescendo bastante, então fundou a União da Mocidade das Assembléias de Deus do Campo de Santos – UMADCAMPS (hoje UMADEMS).

Pastor João Alves Corrêa foi eleito presidente da Junta Executiva das Deliberações da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB) e trabalhou durante seis anos, sendo três gestões consecutivas (1966-1968), (1968-1971) e (1971-1973). Além desse cargo, foi membro de Conselho Fiscal (1977-1979), Presidente do Conselho Regional Sudeste (1990), Presidente do Conselho Administrativo da CPAD (1994) e Presidente do Conselho de Doutrina (1995). Também foi presidente da Convenção dos Ministros das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo – COMADESP.

Além de todos estes cargos, também foi agraciado com muitos títulos, frutos de seu brilhante testemunho e dedicação à obra de Deus, alguns deles são:
Bacharel em Teologia
Cidadão Honorário de São Vicente - SP
Cidadão Honorário de Santos - SP
Cidadão Honorário de Juquiá – SP
Doutor "Honoris Causa" em Teologia
Honra ao Mérito em Bebedouro – SP.
Amigo da Magistratura Nacional.


Depois de permanecer por mais de 31 anos na presidência da AD em Santos, em janeiro de 1993 passou a direção para seu filho, pastor Paulo Alves Corrêa. Ainda sentindo disposição para o trabalho, o Pastor João Alves Corrêa continuou como o Presidente Geral do Ministério de Santos, que abrange Cubatão, Guarujá, São Vicente, Praia Grande e toda a baixada santista além de trabalhos missionários no exterior, num total de mais de 800 igrejas e cerca de 20 mil membros, somente na sede.

Em 2005, apesar da desvinculação de seu filho, pastor Paulo Alves Corrêa, da CGADB, ele, porém, se manteve fiel à instituição. No dia 13 de março de 2007, aos 92 anos, Pastor João Alves Corrêa faleceu.

ANEXOS:





    Templo Central das Assembleias de Deus Ministério de Santos

        Pastor Paulo Alves Corrêa, atual líder do Ministério de Santos 

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

CORAL DA PIB DO BRÁS - 89 ANOS A SERVIÇO DE DEUS

Louvai ao Senhor todas as nações, louvai-o todos os povos. Porque a sua benignidade é grande para conosco, e a verdade do Senhor dura para sempre. Louvai ao Senhor.” - Salmos 117

O CORAL PRINCIPAL da Primeira Igreja Batista do Brás, em São Paulo, foi organizado em 14 de novembro de 1928, pelo irmão Abrahão de Oliveira, com o objetivo de louvar a Deus, servir a igreja e levar uma mensagem de salvação aos homens.


Em 1940, juntamente com orquestra e sob a regência da irmã Ernestina M. Mancinelli, cuja dedicação e competência deram a Igreja o título de o mais famoso e bem organizado Coro de São Paulo.

Ao longo dos seus 89 anos, se sucederam 33 regentes, inúmeros instrumentistas e coralistas, participantes do privilégio que Deus nos concedeu de podermos servi-lo através da música, realizando cultos cantados, noites sociais, excursões evangelísticas e intercâmbios com outras igrejas, tendo realizado apresentações em diversas cidades do Estado de São Paulo e em outros Estados.

Teve participação especial durantes a Seção Solene realizada no ano de 2004 na Assembléia Legislativa de São Paulo em comemoração ao Centenário da Convenção Batista do Estado de São Paulo.

Entre tantas obras apresentadas pelo Coral, ressaltamos: “Glória” de Vivaldi, “Messias” de Handel, “Oratório de Natal” de Camile Saint Saens, “As Sete Últimas Palavras de Cristo” de Theodoro Dubois e as mais recentes: “Deus em nós”, “O Amoroso Dom de Deus”, “Faz-nos um”, “Presente do Céu”, “Experiência com Deus” e “Deus Conosco”.

Atualmente o coral conta com uma média de 80 coralistas liderados pelo Maestro e Ministro de Música Prado Benfica, unidos no firme propósito de aprimorar o tributo de adoração e buscarmos dar o melhor de nós ao nosso Deus.

Parabéns a cada coralista, parabéns Coral Principal da PIB do Brás.

Fonte: Site da PIB do Brás: http://www.pibdobras.com.br

ANEXOS: