Chegando lá.

Este blog tem o objetivo de aproximar-me mais de você amigo blogueiro e através do mesmo compartilhar idéias, artigos interessantes, fotos, poemas e pensamentos. Desde já agradeço pelo teu prestígio, companhia e comentários. Sejam Bem Vindos!



quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Canto coral no culto

Aleluias Coral da AD em Belo Horizonte - MG
Ao iniciar essa série de artigos sobre a musica em geral, e a sua utilidade na igreja, espero sinceramente que a mesma sirva de inspiração  para os levitas da Casa do Senhor. Há muito o que aprender nessa área que é muito vasta. Diversos assuntos serão abordados, tais como a importância dos grupos corais na igreja, musica instrumental, hinologia e cântico congregacional.
O canto coral, se a igreja admite sua execução (desde a Reforma Protestante no século XVI, há igrejas que o restringem ou proíbem), deve ser considerado parte integrante do culto divino.
No Brasil, há uma tendência entre as igrejas evangélicas, que adotam ou não uma liturgia, sejam consideradas ou não conservadoras, para minimizar a participação do coro, ou porque o culto é transformado numa festa comunitária, dando ensejo a maior atuação da congregação, ou porque a igreja não conta com recursos materiais e humanos para manter a atividade coral. Nas igrejas neo-pentecostais principalmente, não se vê música coral. É só os chamados “corinhos”, ritmados pelas palmas. E fica só nisso!
Nos últimos 30 anos, muitas igrejas abandonaram seus coros à própria sorte, e passaram a prestigiar as "equipes de adoração e louvor", quando não atribuíram a alguns cantores (que imitam os "crooners" da música popular), ou a cantor mais desinibido, a tarefa de liderar o canto congregacional.
Além de orientar o canto da congregação, o coro destina-se a inspirá-la, por meio de uma execução técnica a mais perfeita possível, e uma interpretação artística a mais elevada em relação ao nível cultural da congregação.
A escolha do repertório do canto coral terá importância fundamental para o desenvolvimento da atividade coral e o aperfeiçoamento do gosto musical da congregação.
O canto coral poderá atrair para os cultos da igreja muitas pessoas, crentes ou não, que apreciam este tipo de execução musical, ou que não têm comumente oportunidade de ouvir um coro.
A educação musical dos adolescentes e jovens é muito estimulada pela atividade coral.
O repertório coral é baseado principalmente em arranjos de hinos tradicionais e em peças eruditas. Os coros das igrejas evangélicas no Brasil têm cantado trechos dos oratórios "Messias" (Haendel), "Elias" (Mendelssohn), "A Criação" (Haydn), "As sete últimas palavras de Cristo" (Dubois), "São João Batista" (Schneider), "Oratório do Natal" (Bach). "A Paixão, segundo São Mateus" (Bach), "Um Requiem Alemão" (Brahms) e "Crucificação" (Stainer); dos "Requiem" de Mozart, Berlioz, Verdi, Fauré e Victoria; de cantatas de Bach; de motetos de Vivaldi, Mozart, Bach, Haendel, Berlioz, Bruckner, Poulenc, Victoria, Lassus, Tallis, Schuetz e Purcell, o que os recomenda perante os aficionados da música sacra.
Para atender aos gostos musicais menos exigentes, executam "musicais" de compositores contemporâneos. Diversos hinários, tais como: Salmos e Hinos, Cantor Cristão, Coros Sacros, Antemas Celestes, as composições do Rev. João Wilson Faustini e até mesmo a nossa Harpa Cristã, têm sido a fonte de onde os regentes de coral se utilizam para montar o seu repertório.
As Assembléias de Deus, ao longo de mais de cem anos de atividades no Brasil, tem procurado manter a tradição da musica coral. Temos em algumas igrejas, corais de bom nível musical que tem apresentado ao Senhor, alguns cânticos de seu repertório, que são verdadeiras obras primas. Os corais das AD do Belenzinho - São Paulo, de Campinas, de Santos, de Recife e de Belo Horizonte, podem servir de exemplo entre os inúmeros belos corais.
É necessário que a liderança da igreja apoie os corais ainda existentes, pois, é devido a carência de bons regentes nas igrejas, e com a falta de interesse pelo estudo da música, a tendência é acabar este estilo de musica tão apreciado. Se os nossos ouvidos apreciam uma boa musica, divina, bem ensaiada e que tão bem fala a nossa alma, quanto mais nosso Deus que é o criador da musica, com certeza receberá os louvores de seu povo.







3 comentários:

  1. TEM QUE GLORIFICAR A DEUS, OUVINDO TÃO BELO CORAL. GRAÇAS A DEUS!

    ResponderExcluir
  2. Realmente meu irmão essa atividade deveria ser mais incentivada. Mas infelizmente algumas igreja se contentam com alguns grupos vocais. Quão belo é um hino cantado por um coral, o qual nos leva a uma profunda reflexão espiritual. Parabéns pelo o artigo! Que venham outros!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo Trabalho, Parabéns Amado!

    ResponderExcluir