Chegando lá.

Este blog tem o objetivo de aproximar-me mais de você amigo blogueiro e através do mesmo compartilhar idéias, artigos interessantes, fotos, poemas e pensamentos. Desde já agradeço pelo teu prestígio, companhia e comentários. Sejam Bem Vindos!



sexta-feira, 22 de abril de 2011

Morre benfeitor de Ipatinga

Prefeito decreta luto oficial de três dias em homenagem ao engenheiro Rinaldo Campos


IPATINGA –  Coincidindo com as datas das mortes de Tiradentes e Tancredo Neves, um dos líderes da Inconfidência Mineira, Ipatinga e o Vale do Aço perderam, na manhã desta quinta-feira (21) um dos maiores expoentes da sua história: Rinaldo Campos Soares.

I010316.jpgO engenheiro de Minas e 
Metalurgia, formado pela Escola
de Minas de Ouro Preto e doutor 
em Metalurgia pela Universidade 
de Paris, faleceu por volta das 8h 
desta quinta-feira no Hospital 
Felício Rocho, em Belo Horizonte, 
em virtude de falência múltipla 
dos órgãos. Rinaldo estava com 
72 anos. Um câncer nos rins foi diagnosticado em outubro de 
2010. Rapidamente, a doença se espalhou para outros órgãos.

O “professor”, como era conhecido, nasceu em Divinópolis e foi 
funcionário da Usiminas entre 1971 e 2008. Após ocupar vários 
cargos na empresa, em 1990 assumiu a presidência. Esteve à 
frente de uma das principais siderúrgicas do mundo até 2008, 
quando se aposentou e passou a fazer parte do Conselho 
Consultivo da Usiminas.

Ele foi membro de vários órgãos governamentais, entidades e 
instituições de classe tais como o Comitê Empresarial Permanente 
do Ministério das Relações Exteriores; Conselho do Instituto 
Brasileiro de Siderurgia (IBS); vice-presidente da Federação das 
Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg); Instituto 
Latinoamericano del Fierro y el Acero (ILAFA); Conselho Curador 
da Fundação Gorceix; Conselho Consultivo da Celulose Nipo-
Brasileira S.A. (Cenibra); Conselho Deliberativo da Santa Casa de 
Misericórdia de Belo Horizonte; Fundação São Francisco Xavier; 
entre outros. Rinaldo Soares era ainda cônsul honorário do Japão 
no Brasil.

Seu corpo foi velado ontem na sede da Fiemg, em Belo Horizonte 
chega na manhã desta sexta-feira a Ipatinga, por volta das 7h30. 
No aeroporto, o caixão vai passar por uma ala formada por 
pioneiros de Ipatinga. Em seguida, será transportado em 
caminhão do Corpo de Bombeiros até o hall da Prefeitura de 
Ipatinga, onde será velado. O corpo de Rinaldo Soares fica na 
cidade até às 15h. A pedido da viúva, Conceição Dias Soares, 
será realizada uma celebração ecumênica conduzida pelo 
bispo-emérito Dom Lélis Lara e pelo pastor Antônio Rosa. 
Posteriormente, o caixão passa novamente pela ala dos 
pioneiros e segue para o aeroporto Usiminas, onde recebe 
uma última homenagem das pessoas que fizeram parte do 
seu staff ao longo de sua trajetória na siderúrgica. 
O corpo será embarcado de volta para Belo Horizonte, onde 
será cremado.

Luto

O prefeito Robson Gomes (PPS) decretou luto oficial de três dias, 
uma homenagem póstuma, visto que foi dirigente do Sindicato 
dos Trabalhadores Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa) por muitos 
anos e conheceu de perto a atuação do ex-presidente, além, claro, 
da importância de Rinaldo Campos Soares para a região.

Luiz Carlos destaca amor e compromisso com a região


DA REDAÇÃO - “Estive ao lado dele no (Hospital) Felício Rocho 
até às 21h de ontem (quarta-feira). Posso dizer que a sua morte 
é uma tristeza muito grande, não só para o Vale do Aço, mas para 
todo o Brasil. Ele foi uma pessoa com uma visão muito humanista. 
Tive o prazer de conviver com o Rinaldo por mais de 30 anos. 
Ele deixa um legado importante para o município, pois desenvolveu 
tanto a parte dos investimentos, quanto das pessoas que vivem na
cidade. (Ele) deu contribuições importantíssimas nas áreas social, 
educacional e de saúde. Lamento (por ele) ter falecido ainda novo, 
porque tenho certeza que tinha muito mais coisas a fazer”, diz o 
deputado estadual (PDT) e presidente do Sindicato dos 
Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa). Conforme Luiz Carlos, 
profissionalmente Rinaldo também foi eficiente e exemplar. 
“O processo de privatização da Usiminas, por exemplo, foi 
considerado o melhor do país muito em parte da sua atuação à 
frente da siderúrgica”, lembra. 
Na avaliação do deputado, as realizações deixadas por Rinaldo 
Campos indicam que ele deve ser venerado para sempre. 
“Posso dizer, sem dúvida, que foi um dos engenheiros mais 
competentes, disciplinados e responsáveis que o Brasil já teve. 
Considerado um dos mais respeitados do setor de siderurgia no país. 
Ele pegou a usina com 15 mil funcionários. Hoje, já são mais de 
100 mil em todo o Brasil. Foi um empresário visionário”, pontua 
o parlamentar.
E, o mais importante, na concepção de Luiz Carlos. “O Rinaldo se 
tornou um cidadão do Brasil e do mundo, mas nunca se esqueceu 
da região do Vale do Aço, principalmente de Ipatinga. Foi um ser 
humano admirável e acho que, apesar da perda, uma forma de 
lembrar dele será aproveitar tudo o que deixou de bom para 
Ipatinga”, concluiu Luiz Carlos Miranda.

Do chão de fábrica para a consagração

DA REDAÇÃO - Elísio Cacildo, presidente da Agência de 
Desenvolvimento de Ipatinga (ADI), engenheiro aposentado da 
Usiminas, trabalhou diretamente com Rinaldo Campos Soares 
por dez anos. Em meio à dor pelo falecimento do amigo de 
tantas jornadas, Elísio falou um pouco sobre a trajetória do 
dirigente. “Rinaldo foi um homem ímpar. Se destacou pela 
competência e liderança que conduzia seu trabalho. Aprendi 
muito com ele durante o período que tive o privilégio de trabalhar 
ao seu lado. Um homem que veio do chão de fábrica e venceu na 
vida por mérito próprio. Fez uma carreira brilhante na Usiminas e 
se destacou ainda por ajudar a construir e consolidar nossa cidade. 
Seu maior legado foi a atuação social que ele desempenhou nos 
mais diversos setores da sociedade ipatinguense”, 
conclui Elísio Cacildo.

Paixão por Ipatinga

DA REDAÇÃO - “Conheci o Rinaldo no final dos anos 60, quando ele 
ainda era funcionário da Fundação Gorceix. De lá para cá, são mais 
de 30 anos de amizade e um grande respeito. Tive a oportunidade de 
estreitar ainda mais nossa amizade com o início do time de futebol 
criado por ele. Viajamos centenas de vezes com a equipe do Apoteose. 
Em minha opinião, Ipatinga perde uma pessoa extremamente 
apaixonada e preocupada com o desenvolvimento da cidade. Rinaldo 
deixa uma lacuna que jamais será preenchida.”
Oswaldo Cunha, engenheiro aposentado da Usiminas e um dos 
fundadores do time de futebol Apoteose

Tia Lúcia: “Rinaldo veio ao mundo para servir às pessoas”


DA REDAÇÃO - “Acompanhei a doença de perto, sempre ao lado 
da família. Fiquei comovida quando soube que parte do velório 
seria em Ipatinga. Assim, poderemos manifestar publicamente a 
gratidão que temos pelo Rinaldo, por tudo que ele fez pela Casa 
da Esperança. Ele sempre deu sustentação para a gente, com 
uma ajuda muito grande, sempre atuante”.
Com essa declaração, a responsável pela entidade, Maria Lúcia 
Valadão, a “Tia Lúcia”, lembrou os benefícios concedidos pelo 
engenheiro Rinaldo Campos.
Segundo ela, todas as melhorias na estruturação da Casa da 
Esperança tiveram o apoio incondicional do então presidente 
da Usiminas. "Era uma pessoa com um lado humano sensacional. 
Tenho a convicção que o Dr. Rinaldo não seguia os passos de Cristo, 
mas andava ao seu lado. Tudo que ele fazia era pelo prazer mesmo 
de servir. Em momento algum procurava publicidade para os seus atos”, 
pontua Tia Lúcia.
Ela lembra que esse papel de benfeitor vai eternizar a figura de 
Rinaldo Campos. “Assim como ele fez pela Casa da Esperança, 
tenho certeza que ajudou muito outras pessoas e instituições. Ele 
estava no mundo para servir às pessoas. Posso dizer que a Casa da 
Esperança perdeu um grande amigo. O Dr. Rinaldo se realizou tanto 
profissionalmente quanto pessoalmente”, concluiu Maria Lúcia 
Valadão.


NOTAS DE PESAR


Última homenagem

Com pesar, a Administração Municipal de Ipatinga, lamenta a 
morte do Dr. Rinaldo Campos Soares, se une aos amigos nas 
manifestações de solidariedade à família em luto. Aproveita 
para convidar a todos, para prestar a última homenagem, 
durante o velório que acontece hoje das 8h às 15h no hall da 
Prefeitura.
Robson Gomes, prefeito de Ipatinga

Trajetória marcante

“A indústria brasileira perde uma importante personalidade. 
Mineiro de Divinópolis, Rinaldo Campos Soares ingressou na 
Usiminas em 1971, como assessor do departamento de 
engenharia industrial, e deixou a empresa em 2008, como seu 
diretor-presidente. Sua vida, portanto, confunde-se com a 
própria história da Usiminas e com o desenvolvimento da 
siderurgia em nosso País. Processos importantes, como a 
privatização e a consolidação da Cia. Siderúrgica Paulista 
(Cosipa), foram conduzidos em sua gestão com inegável êxito, 
contribuindo para tornar a Usiminas o maior complexo 
siderúrgico de aços planos da América Latina. Certamente, 
seu legado permanecerá expresso em nossas usinas, fábricas 
e escritórios, e também nas comunidades onde a empresa se 
faz presente. Aos familiares e amigos, manifestamos a nossa 
maior solidariedade em nome de todos os 35 mil empregados 
da Usiminas”.
Wilson Brumer, presidente da Usiminas

Um grande homem

O prefeito de Timóteo, Sérgio Mendes, recebeu com tristeza a notícia do falecimento do engenheiro Rinaldo Campos Soares, a quem definiu como um dos grandes homens do Vale do Aço. Sérgio Mendes lembra que a administração competente do então presidente da Usiminas possibilitou que a empresa se expandisse e se transformasse em um dos maiores conglomerados siderúrgicos do Brasil, trazendo empregos, renda e desenvolvimento para todas as cidades da Região Metropolitana do Vale do Aço.

Modernização e grandeza

“É com pesar que lamento a morte de um dos maiores 
empreendedores mineiros. Rinaldo Campos Soares mostrou 
que era possível aliar desenvolvimento, sustentabilidade e 
sensibilidade social, antes mesmo que a essência do termo se 
popularizasse. Sua trajetória estará intrinsecamente ligada com 
a modernização e grandeza da Usiminas, com o desenvolvimento 
do país e como representante do povo japonês em Minas. Vimos 
nele um homem íntegro de formidável caráter, que deixa sua marca, 
assim como Tiradentes e Tancredo Neves, que foram embora nessa 
mesma data, como um dos grandes personagens mineiros.
Meus sentimentos de pesar aos familiares.”

Alexandre Silveira, deputado federal e secretário extraordinário 
de Estado de Gestão Metropolitana


Fonte: Jornal do Leôncio

Um comentário:

  1. Durante 25 anos e quatro meses fiz parte da família Usiminas, e pude constatar a eficiente administração do Dr. Rinaldo Campos Soares. Com certeza o Brasil perdeu um dos grandes ícones da Indústria Siderúrgica. O ex-presidente da Usiminas deixa um exemplo muito grande de como o administrador que também se preocupa com a área social e com o bem estar da sociedade.

    ResponderExcluir