Chegando lá.

Este blog tem o objetivo de aproximar-me mais de você amigo blogueiro e através do mesmo compartilhar idéias, artigos interessantes, fotos, poemas e pensamentos. Desde já agradeço pelo teu prestígio, companhia e comentários. Sejam Bem Vindos!



sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Pastor Ormídio Siqueira das Neves

Pastor, pioneiro das Assembléias de Deus de Vitória (ES), Cachoeira do Raio e Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. 


Pastor Ormídio Siqueira -
Apóstolo do Vale do Rio Doce
A nova geração de crentes por certo desconhece os nomes e os feitos dos grandes homens de Deus, que por Ele foram designados para árduas tarefas de pioneirismos e iniciação desta gigantesca Obra, sempre florescente, graças a atuação do Espírito Santo e à fidelidade daquela inolvidável plêiade de obreiros, legítimos homens de Deus. Um desses nomes é o do pastor Ormídio Siqueira das Neves, que foi um verdadeiro desbravador do Evangelho no Vale do Rio Doce.


Ormídio Siqueira nasceu em 17 de março de 1905, na cidade de Vitória (ES), filho de Faustino Siqueira das Neves e Eduarda Maria da Conceição. Converteu-se ao evangelho em 30 de dezembro de 1929, e 18 dias depois, recebeu o batismo no Espírito Santo. Recebeu a chamada de Deus para o ministério evangélico em 5 de dezembro de 1934.


João Pedro da Silva havia, em 22 de julho de 1932, fundado as Assembleias de Deus em Cachoeira do Raio, município de Aimorés, e de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, e as tornou ligadas à AD em Vitória (ES), onde era pastor. João Pedro não podia dar às igrejas de Governador Valadares e Cachoeira do Raio a assistência que elas necessitavam. Por essa razão, convidou Ormídio Siqueira, membro da AD em Vitória, para assumir o trabalho nas duas igrejas. A princípio, Ormídio Siqueira aceitou e, durante pouco mais de um mês, visitou e incentivou os novos convertidos a permanecerem firmes na fé. Porém, Ormídio Siqueira voltou a Vitória sem qualquer compromisso de regressar. 

Durante alguns anos, tanto a igreja de Governador Valadares como a de Cachoeira do Raio recebiam apenas visitas ocasionais de pastores ou evangelistas da igreja em Vitória. Em 17 de maio de 1934, o pastor João Pedro da Silva faleceu em Vitória. Ficaram, portanto, sem pastor as igrejas de Governador, Cachoeira e Vitória. Foi nessa ocasião que a igreja escolheu e separou para o pastorado das mencionadas igrejas Ormídio Siqueira. A ordenação de Ormídio a pastor aconteceu em 23 de maio de 1934.

No ano seguinte, em 8 de fevereiro de 1935, Ormídio Siqueira transferiu-se para Cachoeira do Raio, sem promessa de salário ou qualquer auxílio de ordem econômica. Ormídio e sua família passaram muitos dias sem almoçar ou jantar. Outros dias comiam alguns peixes que eles mesmos pescavam no pequeno rio que passava nos fundos da casa em que moravam. Ele fixou residência nas proximidades de Baixo Guandu, em Cachoeira do Raio, onde encontrou 70 crentes. 

Um fato importante serviu para as portas se abrirem ao progresso do evangelho na região. Em 15 de julho de 1935, seis meses após assumir a direção do campo, foi chamado às pressas à casa de uma família. Lá chegando, encontrou um dos filhos, Ephaim, de 10 anos de idade, quase morto, não se mexendo mais, nem mesmo com os olhos. Pastor Ormídio orou e a criança imediatamente ressuscitou, levantou-se e andou completamente curada. Indo a outro quarto, encontrou seu irmão mais velho, Joaquim, quase nas mesmas condições. Não se movia, não mais conversava. Orou por ele também. Foi igualmente curado. Ambas as crianças pediram comida. A mãe deles, Corina, teve medo de alimentá-los. A notícia desse fato correu célere. O povo viu que a mão de Deus estava estendida para salvar e curar.

O trabalho pioneiro de Ormídio Siqueira deu grande impulso e expansão à Assembléia de Deus de Governador Valadares e a todo o campo do Vale do Rio Doce. Pelos registros históricos pesquisados, ele teria cooperado em Vitória, além de nos anos de 1934 e 1935, também em 1944, entre o pastorado de Belarmino Pedro Ramos e Waldomiro Martins Ferreira.

Os primeiros auxiliares do pastor Ormídio, no campo do Vale do Rio Doce, foram: Francisco Miranda, José Agostinho Fabrício, João Firmino, Daniel Estêvão, João José Teixeira, Antônio José Teixeira, Leovegildo Cândido, Braz Odorico, Leonel Muniz, Oreste Muniz Filho, Joaquim Antônio Oliveira e Delourdes Fancisco Guimarães.

Pastor Ormídio Siqueira ao lado
do Miss. Algot Svenson e de Obreiros do Vale do Rio Doce
Em 1945, a sede do campo transferiu-se para Governador Valadares, a “Capital do Vale do Rio Doce”. Primeiro, um salão que comportava umas 40 pessoas, a princípio sob os cuidados do então diácono Oscar Guilherme. Depois, um salão maior na Rua Rio Grande do Sul, e finalmente um amplo terreno na Avenida Afonso Pena. Cerca de 3.000 pessoas assistiram a inauguração do templo, em 15 de julho de 1951.

A vida ministerial de Ormídio Siqueira foi cheia de manifestações sobrenaturais de Deus. Certa vez, quando ele realizava o batismo em águas de alguns novos convertidos, chegaram ao local dois homens armados para o açoitar e lhe fazer mal. De repente, surgiu, em sentido contrário, um outro homem, de grande estatura, e disse aos malfeitores: “Nada façais mal a este homem! Ele está fazendo um trabalho que Deus lhe mandou fazer. Se lhe fizerdes mal, haveis de vos ter comigo! E saiam daqui depressa...!” Nisso, ao preparar-se para o ato batismal, olhou para o local onde eles estavam e não viu a mais ninguém. Deu graças a Deus. Em outra ocasião, quando viajava por uma estrada, à beira de uma mata, dois homens estavam cortando a machado um grosso pau. Quando Ormídio ia passando, eles o jogaram para o seu lado. Naquele momento, viu quando um enorme braço susteve aquele pau e o desviou para que não caísse sobre ele. Ormídio compreendeu que o braço de Deus se manifestara para o guardar.

Pastor Ormídio Siqueira pregando num
evento da AD em Coronel Fabriciano (MG)
O pastor Ormídio Siqueira dedicou 34 anos de sua vida ao Senhor como pastor e ganhou milhares de almas para Jesus. No dia 02 de março de 1969 realizou o último batismo nas águas em Tumiritinga. Dia 20 de março, pregou pela última vez no templo sede em Governador Valadares, recitando o seguinte trecho bíblico: “Bom está, servo bom e fiel, sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei. Entra no gozo do teu Senhor”. No dia 23 do referido mês e ano, passou a descansar para sempre com o seu Senhor. Deixou viúva a irmã Margarida Libério Siqueira, filhos, genros, noras e netos.



Compareceram ao sepultamento do corpo do pastor Ormídio vários pastores e autoridades entre os quais: pastor Edvaldo Fernandes, da Igreja Presbiteriana; pastor Anselmo Silvestre, que presidiu o ato fúnebre e os pastores Oscar Guilherme, Ary Ferreira Coelho, missionário Philemon Rodrigues da Silva, vindos de Belo Horizonte; Geraldo Sales e Salatiel Fidélis de Souza, de Caratinga; Durval Santos, missionário Bernhard Snegrove, pastor Waldomiro Martins Ferreira, presidente das AD em Vitória (ES) e inúmeros obreiros do Vale do Rio Doce. Estima-se que cinco mil pessoas compareceram ao sepultamento.
Que a nova geração não se esqueça dos que primeiro lutaram. Eles já foram mas o seu exemplo fica, até que Cristo volte.

Fonte: Dicionário do Movimento Pentecostal

ANEXOS:


                               Pastor Ormídio Siqueira das Neves e família, em 1957


                          Obreiros do Vale do Rio Doce, reunidos no Templo-Sede da AD em
                                         Governador Valadares - MG (1957)



                                Pastor Ormídio Siqueira das Neves orando em um 
                                        culto ao ar-livre em Coronel Fabriciano

Antigo Templo-Sede das AD em Governador Valadares (MG)

Atual Templo Central das AD em Governador Valadares (MG)

2 comentários:

  1. No antigo templo não tinha luxo,havia comunhão , união amor .......saudades.

    ResponderExcluir
  2. No antigo templo não tinha luxo,havia comunhão , união amor .......saudades.

    ResponderExcluir